Infantil e Acompanhamento São Mateus do Sul - PR

Bem-vindo Caio

"Ser mãe tem um significado infinito, é dar amor sem medida, dedicação total, força, coragem e sabedoria.

Ser mãe não é só dar à luz mas deixar de lado seus sonhos, suas vontades, renunciar sua própria vida e estar sempre pronta para amparar seus filhos, mesmo que tenha que cair por eles."

 O Caio veio de surpresa. Eu achava que estava só engordando, até que minha mãe me pediu pra fazer o teste. Falei pra ela, "é impossível eu estar grávida". Minha menstruação não vinha desde fevereiro, quando tomei uma injeção pra parar de menstruar por três meses. Sentia dores de cabeça, muito sono, ficava muito estressada por pouca coisa e estava engordando. Mas pesquisei na internet e vi que era tudo por causa da injeção, então eu não poderia estar grávida né?

 Fui pra Curitiba e senti algo mexer na barriga. "Ou eu to ficando louca, ou são gases", pensei. Mas mesmo assim fui fazer o teste. O resultado deu positivo, não sabia o que fazer! Grávida com 19 anos? Impossível. Ou será que não? Talvez tivesse acabado de engravidar... um mês no máximo. Alguns dias depois consegui um horário, num sábado as 7h da manhã, pra fazer um ultrassom.

 O médico começou pela ecografia transvaginal. "Olha a cabeça dele, vamos ter que fazer por cima. Tá enorme o teu bebê", ele disse. Como assim??? Minha mente ficou vazia. Ele começou a passar o equipamento na minha barriga e disse "Olha o saquinho dele, é um menino. E você tá grávida há muito tempo, já passou da metade da gestação. Aproximadamente 23 semanas e meia". Minha mãe começou a chorar, e eu só conseguia pensar "puta merda!"

 Fiquei com o Caio quase 6 meses na barriga sem saber. Quem me conhece sabe que é muito a minha cara. E ouvi muito isso! hahaha

 Chegou outubro e junto veio o Caio, logo no primeiro dia do mês. Às vezes, até hoje, não consigo acreditar que saiu uma criatura de dentro de mim, ou que eu gerei uma vida. Mas é a melhor coisa do mundo sentir a respiração dele, o calor do corpo, os cabelinhos que parecem algodão <3

 E eu, como fotógrafa, não poderia deixar de registrar os primeiros dias do meu bebê. E ainda tentar aprender a fotografar uma pessoa tão pequenininha, né? Porque nem pegar direito eu sabia ahahaha e ele só despertou minha vontade de fotografar bebês, famílias e recém-nascidos! Porque é tanta perfeição que eu não aguento <3